O que é Causa e Efeito?

É a relação entre dois eventos, onde o segundo evento é uma consequência do primeiro. 

A lei de causa e efeito parte do pressuposto que tudo o que é vivo no universo está sujeito a tal lei. Uma ação, uma palavra e até um pensamento, é uma forma de criar uma causa. O efeito corresponde à causa praticada, boa ou má. 

Uma pessoa que causa sofrimento a qualquer ser vivo, receberá o efeito dessa causa e mesmo que não queira, por estar sujeito a lei de causa e efeito estará naturalmente se conduzindo a uma vida vazia e infeliz. Ao contrário, uma pessoa que causa felicidade e esperança a outros seres, conduz a sua própria vida para felicidade e prosperidade, como efeito de suas ações positiva recebe de volta essa energia.

Causa e Efeito x Ação e Reação

A causa e efeito é uma lei universal, enquanto a ação e reação tem relação com o comportamento da matéria. 

Por que existe uma lei de causa e efeito, cada pessoa recebe os resultados (a reação) de suas ações. 

Ações positivas somam saldo na sua conta com o universo, ações negativas subtraem. O saldo da conta gera Karma, ou seja, um pix para você receber o saldo positivo ou um boleto para pagar sua conta negativa com o Criador. 

Mais sobre Karma: O que é, significado e analogias. 

De acordo com o princípio cármico, as ações que produzem efeitos “negativos” influenciam negativamente o campo de todos os seres e trazem Karma “negativo” para aquele que causou, autor da ação; enquanto as ações “positivas” ajudam o campo de energia universal a se elevar para o positivo trazendo dessa forma um Karma “positivo” para o autor da ação.

O Criador conduz as suas criações a elevar o saldo com o “banco universal” o mais positivo que puderem, essa é a forma mais fácil de vencer o jogo, pois contas que atingem um nível determinado de positivo passam de fase (mudam de dimensão de faixa frequencial) e então saem do ciclo de samsara (reencarnações), saindo de dimensões mais densas para dimensões mais elevadas.

O saldo próximo de zero na conta com o universo, é até aceitável pelos superiores, até entenderem como funciona o jogo leva um tempo, eu diria algumas encarnações rsrs. Agora saldo negativo, sem chance! O universo não aceita. Interferir na vida de outros jogadores de forma negativa não é permitido nesse jogo. 

A vida vai cobrar e se você está passando por um momento difícil por aí, super sugiro buscar mesmo entender mais sobre o que estamos falando aqui, pode ser um pagamento cármico de uma ação inconsciente sua.

Leva um tempo até entender como funciona o jogo por aqui, entender mais sobre essa balança e o que fazer para deixá-la positiva, mas acredite é uma virada de chave quando você começa a entender as regras do jogo!

“Mas os Mestres, conhecendo a regra do jogo, elevam-se acima do plano da vida material, e colocando-se em relação com as mais elevadas forças da sua natureza dominam as suas próprias condições, os caracteres, as qualidades e a polaridade, assim como o meio em que vivem, e deste modo tornam-se Motores em vez de Peões: Causas em vez de Efeitos. Os Mestres não escapam da causalidade dos planos mais elevados, mas concordam com as leis superiores, e assim dominam as circunstâncias no plano inferior. Eles formam parte consciente da Lei, sem serem simples instrumentos. Enquanto servem os Planos Superiores, governam no Plano Material.”

O Caibalion

Sabe, eu fui em busca de entender mais sobre tudo isso que compartilho com você, quando me vi com 35 anos e muito distante de onde eu tinha sonhado em chegar.

Eu trabalhei MUITO, eu estudei MUITO e as coisas não iam na direção que eu queria. Vida profissional com muita pressão e poucos resultados, vida amorosa nem tinha energia para avançar, não sabia quando seria mãe, ou seja, nada como eu imaginei um dia. Tudo porque eu não tinha entendido as regras do jogo. Teria sido muito mais fácil se eu tivesse parado antes de qualquer movimento para entende-las. 

Mas nunca é tarde né? Então eu fiz isso depois de ter caído em um imenso saldo negativo com o universo, ao tocar mais de 400 vidas com a empresa que eu criei sem entender a regra do jogo. Hoje que estou saindo dessa dívida com o universo me comprometi em explicar isso para os demais. 

Só para você saber, eu compartilho o que aprendi em forma de mentoria e direciono com a ajuda de superiores pessoas em relação as ações necessárias para sairem de karmas na primeira fase da cobrança, para não chegarem no segundo nível da cobrança onde o bixo literalmente pega, que foi o que aconteceu comigo…😅

Se fizer sentido para você, clique no botão abaixo e te explico mais por whatsapp

Agora se não, borá seguir para mais conhecimento que ainda tem muita coisa legal que quero compartilhar por aqui! 🤗

Como se libertar de um Karma, primeira fase da cobrança!

Quando você cai em um Karma, significa que precisa tomar consciência de que seus atos do passado estão influenciando o momento presente e que, agora, você pode decidir reparar seus erros através de uma penitência ou austeridade, e assim evitar o sofrimento. 
Se você entender que está onde se colocou, conseguirá não se deixar ser levado(a) pelo vitimismo. No entanto, ao se negar a aprender a lição quando estiver passando por um Karma, o vitimismo aparecerá como efeito colateral. É ele que impede você de aprender as lições que a vida traz. Já a autorresponsabilidade, pelo contrário, o empodera. Ao assumir a responsabilidade por seus atos, você compreenderá que precisa compensar de alguma maneira. 
A autorresponsabilidade é a chave que liberta do sofrimento, mas quando você não consegue manifestar essa virtude e se nega a ver que existe algo a ser
resgatado, atrasa seu processo evolutivo e aumenta sua conta cármica.
É justamente a resistência em aceitar e assumir responsabilidade pelas situações difíceis da vida que gera o sofrimento. A dor do crescimento é inevitável, mas o sofrimento é desnecessário.

Quando o Karma já se tornou sofrimento, segunda fase da cobrança!

Quando deixamos chegar nesse ponto pela nossa relutância em aprender por bem, uma força maior vem para ensinar o que precisa ser aprendido.

Aqui existe uma qualidade de consciência relacionada a autorresponsabilidade e à aceitação que é desenvolvida somente neste nível. Aqui o ser é colocado a força a ter consciência de que nessa vida TUDO tem um preço. A partir dessa visão, a pessoa sabe o que precisa ser vivido e aprendido. 

Nessa etapa a pessoa paga suas contas reconhecendo que gerou uma dívida, dessa forma, aceita aprender através de experiências desagradáveis. 

Essa também é uma qualidade de experimentação, porque viver o karma de forma consciente, compreendendo onde e quando plantamos a semente do que estamos vivendo, é completamente diferente de experienciar de forma inconsciente, sem ter ideia de onde o Karma veio.

Essa qualidade facilita a travessia do desafio, pois muito do peso que sofremos diante das situações difíceis da vida é porque não compreendemos o motivo pelo qual estamos passando por aquilo. 

Os desafios que atravessamos nos ajudam a desenvolver determinadas qualidades, habilidades e até mesmo virtudes e, no fundo, esses desafios são presentes. 

Quando chegamos nesse ponto, sofremos as consequências diretas das ações negativas do passado e só temos duas escolhas, aceitar ou relutar e sofrer mais. 

É como sentir a dor por ter dado um soco na parede. A dor ensina que não podemos mais agir dessa maneira, mas, se não entendermos que a dor surgiu dessa ação, continuamos brigando com a parede e, ainda por cima, colocamos a culpa nela. 

Causa e Efeito no Cristianismo: Justiça Divina

As religiões em geral explicam essa lei tirando a responsabilidade do ser humano e  depositando ela toda em um Ser Divino que define as “punições”, ou seja os efeitos de algo que a pessoa causou. 

Dessa forma desenvolvemos uma sociedade vitimizada, que se sente injustiçada pois não conseguem entender que na verdade estão sofrendo o efeito de algo que elas mesmas causaram.

Sem terem essa visão, dificilmente conseguem assumir responsabilidades e terem controle efetivo sobre suas próprias vidas.

Causa e Efeito no Budismo: Karma

No Budismo eles já ensinam os seres humanos a assumirem as responsabilidade de seus atos, explicando que toda ação feita por eles gera um Karma. 

O Karma como já foi explicado é a sua balança com o universo, entre ações que somam e ações que subtraem, você tem um saldo em sua conta. Sendo ele positivo o universo te retribui de forma positiva, sendo ele negativo, você é colocado em situações desafiadoras para aprender e deixar de lançar a balança para o saldo negativo. 

O que é Dharma?

O Dharma seria como um contrato de alma, o que ficou acordado que você faria aqui na Terra, portanto é o caminho que você fará com naturalidade pois já tem tudo que precisa para isso na sua configuração, é o seu dom, as ações que acontecem com facilidade, seguindo o fluxo da vida.

São aqueles papéis que nos comprometemos em assumir aqui no planeta Terra antes de vir, por exemplo é natural em geral uma mulher sentir de se tornar mãe, o corpo dela vem preparado para isso, logo em geral um dos Dharmas feminino é a maternidade. 

Dharma é o caminho do coração ou o caminho natural, no qual a essência se manifesta. Assim como Dharma da água é matar a sede e nutrir a terra, o Dharma principal do ser humano é amar. 

Dharma também pode ser interpretado como a resposta mais natural para as situações. É quando nos movemos na direção do fluxo da vida e, portanto, alinhamos com a lei do mínimo esforço. 

Se você estiver em dúvida sobre qual é seu Dharma, seu caminho natural, basta observar para onde a vida está levando você. Ao se render irá fluir naturalmente na direção do que é leve pois é natural para você!

A vida está sempre dando pistas que levam você à consciência e à realização do Dharma. Ela está sempre trazendo desafios e situações que colocam você no caminho do coração. Quando você insisti em negar o chamado do coração, Se opondo ao fluxo da vida, o sofrimento é inevitável. Portanto, entender mais sobre o Dharma é um convite a refletir sobre seus nãos: para a saúde, para a prosperidade, para a felicidade e para a autorrealização

Dharma no dia a dia!

Em cada etapa da vida somos convidados a assumirmos um Dharma com responsabilidade, com o coração e muito amor, iniciamos a jornada com o Dharma de sermos filhos, depois no meu caso que sou o feminino, eu passo pelo chamado do Dharma de ser esposa e mãe, e nesse processo eu também entrego o que tenho de melhor como trabalho, me conecto com meu dom para cumprir o meu Dharma profissional e em cada um deles devo me esforçar para cumprir esse papel com muito amor.

Quando nosso ser insiste em ir na direção contrário ao nosso Dharma, o sofrimento é inevitável, por isso não é sobre o que o meu pai ou a sociedade espera de mim, é sobre, o que o meu coração realmente quer? Para onde meu coração sente que eu devo ir? 

Os nossos Dharmas estão registrados no coração, aquela voz interna que chamamos de intuição. A nossa mente que foi “condicionada” quando chegamos aqui é quem nos tira da direção onde tudo fluiria com naturalidade.

Categories: Geral

0 Comments

Leave a Reply

Avatar placeholder

Your email address will not be published. Required fields are marked *